Yoga para Crianças: funciona mesmo?

Sou professora de yoga para crianças. Mas entrei numa crise e cheguei a me perguntar: funciona mesmo?

Tudo começou quando, já professora de yoga e focada em ensinar gestantes, vi meus filhos crescendo e pensei que o yoga pudesse ser benéfico para eles.

Então busquei uma formação de yoga para crianças: gosto de saber a teoria, como já fizeram, porque consideram bom, qual prova têm disso, essas coisas.

Primeira parada, Maurício Salem. Um curso muito bom, Maurício é dinâmico, um ótimo professor. O método dele é completamente voltado para a sala de aula. Aprendi técnicas para crianças de todas as faixas etárias e foi muito proveitoso.

É claro que eu adaptei o que aprendi à minha realidade: sou mãe waldorf, não estamos em escolas comuns que separam as crianças por idade, mas por fase de desenvolvimento, então passei a praticar o yoga com as crianças observando mais como elas estavam do que o ano em que nasceram.

Ensinei meus filhos e fiz algumas oficinas para crianças da minha comunidade.

Logo depois conheci outra iniciativa, também na linha escolar, que foi o RYE (Pesquisa de yoga na Educação) da Micheline Flak. Através da Lucía Casaverde, do Espaço Vidya Jyoti, aprendi a associar yoga e mandalas e as técnicas RYE. Então comecei a dar aulas mesmo. O RYE é legal porque segue os passos do yoga de Patanjali mas é laico. O yoga do RYE é apresentado de uma forma simples, eficaz e que pode ser aplicado em sala de aula, empresas, em casa, em todo lugar.

Também tive contato com as publicações de Swami Niranjan e todo o conhecimento da Bihar School voltado para a infância.

Tive turmas de crianças de 7 a 12 anos. E as crianças crescem rápido, então eu tinha que acompanhar as fases para dar a cada uma exatamente o que ela precisava. E consegui fazer isso porque inseri práticas da Antroposofia.

Ufa, falei demais e ainda não respondi se Yoga para Crianças realmente funciona. Falei que tive uma crise, né? Pois é.

Sou mãe. De três. E com falei antes, criança cresce, se desenvolve, muda o tempo todo. Criança não se preocupa em se cuidar, criança só quer viver bem. Quer brincar, quer comer, dormir, assistir desenho, jogar, sorrir, viajar, passear.

Criança não quer praticar yoga.

Mas nós adultos sabemos que o yoga faz bem para as crianças. Sabemos porque temos provas: lá na Índias as crianças são iniciadas no yoga aos 8 anos porque eles sabem que as mudanças hormonais desta idade até a idade adulta são melhor equilibradas com a prática de yoga. Mas é cultura deles, aqui o adulto tem que acreditar e matricular sua criança numa aula. E muitas vezes não funciona por ser algo não espontâneo ou cultural.

Então surgem as aulas lúdicas: yoga com histórias, yoga com bichos, yoga com brincadeiras, yoga com música, yoga na escola etc e tal.

E como seres humanos são diversos, acredito que todas essas iniciativas são boas. Funcionam pra quem tem que funcionar.

E assim, depois de um tempo de pausa e observação, depois de tentativas frustradas, de pouco resultado para muito esforço (ou melhor, pouco resultado para tanta expectativa), eu cheguei a um pensamento (por hora):

O yoga é muito benéfico para crianças, como prática a partir de 7 anos, antes disso é apenas algo que a criança imita do adulto, brinca.

Para cada fase, na crise dos 9, dos 12 anos, para a puberdade, adolescência, para essas transições importantes, há muita coisa no yoga que pode ser ensinada. Para cuidar da coluna, para alongar, tonificar e fortalecer os músculos, para ter bons pensamentos, para aprender melhor, para respirar melhor e todas as consequências que esses “melhor” trazem.

Se não dá para dar uma aula da forma tradicional, dá para praticar junto, em família, sequências especialmente benéficas para cada fase: exercícios para concentração, para a fase da menarca, para medos e muitas situações.

Vai ter época que a prática vai rolar bem, vai ter época em que irão refugar e vai parecer que o yoga não faz efeito. Porém, yoga é algo que penetra no ser e se manifesta quando o ser está pronto, porque o corpo memoriza o yoga, ele se adapta e guarda o yoga em si. Quando a criança precisar respirar bem, para acalmar por exemplo, seu corpo vai lembrar.

E se o adulto sempre trazer o yoga como prática habitual, assim como se toma banho todos os dias, a criança vai usufruir desse hábito. Pode ser que tome gosto, pode ser que não, que apenas se beneficie sem perceber.

O fato é que sim: yoga para crianças funciona mesmo!